segunda-feira, 2 de novembro de 2009

o peso da saudade

Há dias vinha ensaiando entrar na farmácia da esquina pra descobrir, afinal de contas, quantos quilos tinha recebido desde minha chegada.
O espelho já não me deixava em paz, teimando em escancarar, todos os dias, o que eu vinha tentando escamotear.
Ontem resolvi entrar. Depois de me desfazer de umas 15 peças de um outono que já castiga, coloquei um pé na balança e respirei fundo. Coragem, disse-me alto.
Mas o pé que permanecia ainda no solo começou a me fazer pensar nas aventuras gastronômicas de outrora.
Sabia bem como tinha devorado potes de queijo branco com geléia de framboesa, croissants de manteiga, crepes de nutela, todos os tipos de queijo e intermináveis garrafas diárias de vinho do bom.
Fora isso, 7 meses sem ballet faziam me sentir muito empneuzada pra enfrentar uma balança.
Mas o ar de "anda logo, menina" da mulher da farmácia me fez subir com o outro pé. Quanta insensibilidade, pensei.
O papel com o resultado foi impresso. Ao lê-lo, pensei em como minha cidade me fazia falta. Pensei em como a ausência dos meus me deixava um pouco sem lugar. Pensei na falta que os meus queridos me fazem. Pensei na minha solidão, de cidade grande sem coração.
Li novamente o papel e vi que os 3 quilos e meio a mais eram a saciação de uma fome antiga. Fome de iguais.
Era o peso da saudade.

9 comentários:

Anônimo disse...

A saudade existe é claro, de ambos os lados. Mas o motivo da sua residência aí , é por uma boa causa com um futuro promissor. Dificuldades,saudades,emoções, alegrias,existem em todos os lugares do mundo. Vá em frente. A vida continua, e você com mais experiência,cultura, vida e saúde.Vc. não adquiriu peso e sim recuperou o perdido ao organizar esta nova etapa. Beijos.MM

Anônimo disse...

Eu morro de saudades.
E te entendo tanto, tanto, tanto.
Tenho fome do convívio com a minha amiga escorpiana.
Falta da certeza que respiramos o mesmo ar.
Amo muito.
beijo no coração.

Henrique disse...

Fabi, realmente, a saudade pesa. ainda mais em contraste com a leveza da sua amizade. Te desejo um pouco de saciação desta e de outras fomes. só um pouco, pois é a fome um dos elementos que lhe tornam essa pessoa adorável.

beijos saudosos,

Lee

Anônimo disse...

Querida amiga,
Sei que a saudade pesa muito, ainda mais em tempos de outono. Também estou com muitas saudades e certamente com mais quilinhos ganhos do que você. Não esquente com isso, afinal, hoje é dia de comemorar. PARABÉNS!!! MUUUUUUUITAS FELICIDADES E PAZ!!
Feliz aniversário de quem nunca te esquece. Carol Leal

ck disse...

Oi Lúcia!!!
Uma vez li uma frase, era mais ou menos isso: Saudade é aquilo que fica, daquilo que não ficou.

Breve você vai matar várias saudades, né!? :D

C.K.

fabi disse...

mãe, rê, lee, carol, cris: que comentários mais lindos!
obrigada!

nuestras estorias disse...

ai, fiquei arrepiada. boniiito de tão pesado!

francesco disse...

que lindo esse post fabi! por aqui também sente-se algo semelhante que o vazio de sua ausência provoca. Parece o contrário, mas é a mesma coisa: saudade.

Anônimo disse...

voce tá envelhecendo tão bem...
não te disse...dói um pouquinho mas é gostoso.
você faz falta... gorda!
bjk