domingo, 24 de janeiro de 2010

postado por felipe magalhães

é lírico, é poético quando, por volta de 4 e meia da tarde o contraste entre o branco puro e suave da neve em cima dos telhados e no chão e todo o resto mais escuro, vai se dissolvendo num cinza azulado, destacando as luzes acesas das casas aquecidas.
e a noite abraça o dia, lentamente, como uma senhora protetora que acalma o furor inocente de um menino.

2 comentários:

Anônimo disse...

Gostei da sua filosofia de vida.Abraços,MMarta

nuestras estorias disse...

sabe, felipe, sempre que tô na rua e vejo um lar quentinho por fora, com luz, ou uma loja de móveis gostosinha, me dá uma sensação dupla de conforto e logo desconforto. eu li isso que escreveu e lembrei dessa sensação que não consigo nomear...